deficiência

O que estou aqui defendendo é que se o professor de filosofia contemporâneo observasse o método Socrático e fosse rigoroso tal qual Sócrates o era no ensino de filosofia, oferecendo ao aluno a oportunidade de expressar-se, a qualidade e o resultado obtidos seriam sem sombra de dúvida mais benéfico e vantajoso para ambos os lados, visto que o aluno estaria desenvolvendo as competências citadas para desfrutar ao máximo da sua capacidade intelectual, aprendendo de fato a filosofar e não apenas a rever a história feita por mestres como Sócrates, Platão, Aristóteles, dentre outros.