Relacionamento

Era uma piscina sem bolinhas de água e sabão, uma discoteca em meio salão. Meio, pois os dançarinos ocupavam o outro meio. Aqueles que  quem é do meio consegue interagir. Aquele funk soul sudo nacional afro descendente fazia contente aqueles do primeiro meio. Eles mergulhavam, se traziam à borda e ocupavam a primeira metade do salão, na piscina.

Uma festa de chegada, assim, no meio do nada, não  nada que esperar. Sempre foi um vai e vém de um monte de gente que não se esquece e a gente vai crente, de lembrar de todo mundo no dia seguinte.

Não sabe como lidar com a ex? Segue o manual prático:

Ex namorada

Fui maldoso. Mas tem uns brothers que também são.

Subi no pedestal só pra ver como eram as coisas lá de cima. Gostei da adrenalina, desci pela humildade. Calei para não causar constrangimento, sem me sentir constrangido. Sentimento mexe com a gente e em muitos casos é fácil ser confundido. Saber separar não é dom. Consciência não é sinônimo de intelecto, muito menos de frieza. Evito o duplo sentido, para dar certeza. É mais difícil evitar as metáforas.

Taí... um SPAM que eu não pude deixar de compartilhar:

eu gosto tanto dela( s )
ela( s )
bela( s )
me deixa( m ) sem rumo
mesmo que eu não esteja ali

de tanto ver novela( s )
eu pensei
que ela( s )
fosse( m ) um tipo
cinderela( s )
que me mostraria( m )
um pouco
talvez muito
mais de mim

de longe
um sorriso reconhecido
gargalhou imenso
ao que possível
terceiro poderia imaginar
ter esquecido
veio interamente cheio

"Ouié!"

Sei que já passou o Natal e como a ocupação, mesmo em datas tão específicas, toma conta de praticamente cem por cento do tempo, deixei atrasar minha mensagem.

Mas não me avexo não, baião de dois. Como diz o ditado, antes tarde do que nunca.

É incrível como chega essa época, a "massa" começa a desejar boas coisas, festas, felicidades e o que mais for bom, para o próximo. Se minha caixa de e-mails já lota em qualquer época, fim do ano é uma loucura.

Eu desejo pra todo mundo, em qualquer época, boas festas e felicidades. Mas agora, estou seguindo o "fluxo": Que seus sonhos sejam mais bonitos e se realizem. Torço para que vida seja mais agradável, com mais humor e interatividade, entre todos esses que vivem em nosso planeta.

Tomara que o seu Natal tenha passado feliz e que o Ano a chegar seja também!

Ia colocar aquela imagem do "voto de boas festas", mas acho que tá meio batido.

Com carinho, do Leonardo Silva

Juntei tudo que podia, demorada e custosamente, pra depois desfazer o resto. Calculei exato, em equação inteira, o gosto da umidade. Compartilhei a temperatura de meu corpo, suei quando estava frio. Sem segundas intenções. Só queria plainar. Por qualquer quantidade de tempo que fosse, desde que íntegro, fosse. Mesmo sabendo dos fatores que interferem diretamente no eu inteiro, limpo e puro, me soltei.

Chegou pra mim por e-mail, intitulado "Desabafo de um bom marido", referenciando a autoria a Luiz Fernando Veríssimo. Não sou o maior conhecedor de Veríssimo, mas duvido que seja de autoria dele. Está até bem escrito, mas o "jogo" (além de umas vírgulas em lugar inadequado - que fiz questão de deixar - e algumas expressões "óbvias") não tem muito a ver com Veríssimo. Se for, desculpa aí, Fernandão. Vou ler mais seus livros.

Não sou casado, mas o texto é esse: