diálogo

Nos diálogos Platônicos, que se dividem em: Socráticos, intermediários ou lógicos, há sempre um interlocutor que conduz, questiona, corrige e direciona o debate e de outro personagem que busca responder, exercitando desse modo sua capacidade de dialogar, raciocinar, refutar, argumentar, bem como também, de enfrentar o esforço que requer a atividade filosófica. Isso tudo corresponde ao que caracteriza o método Socrático, ao que parece foi banido para longe das salas de aulas, relegado ao esquecimento.

Frederico Gonçalves – 1º período – 11.2.5011

Será que aprendemos de fato algo com os ensinamentos de Sócrates escritos por Platão?

A resposta a essa indagação é não. Este ensaio tem por principal objetivo, defender o estilo Socrático como método de ensino de filosofia como uma prática a ser aplicada nas escolas e universidades, inter-relacionando o diálogo de Platão “Mênon”, com as dificuldades enfrentadas por professores e alunos na hora da prática educativa e do aprendizado, propondo uma breve discussão sobre os rumos do fazer filosófico, especialmente na academia.